Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages
Filter by Categories
Anais do fórum
Artigos
E-Book
Informativo
International Journal on Active Learning
Mídia
Publicações

Escreva as palavras-chave e aperte Enter.

45º Seminário Pedagógico de Professores da Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre

RELATO DE EXPERIÊNCIA

Data: 16 de julho de 2018

Projeto: 45º Seminário Pedagógico de Professores da Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre

Professores envolvidos: NAeIP -> Adriana Paula Zamin Scherer, Letícia Silva Garcia, Marigelda Sobianek. Convidadas -> Daniela Marques Nunes e Sandra Belloli.

Metodologias envolvidas: Metodologias Ativas: monte seu cardápio TBL – TPS – Flipped Classroon – ABProblemas – Peer Instruction – Visita Téncia – RolePlayStorytelling  – Com o uso de Student Teaching Assistants (TA)

Durante o 45º Seminário de Professores da Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre foi realizada uma atividade coordenada pelo NAeIP (Núcleo de Apoio e Inovação Pedagógica) para conhecimento e aprofundamento das Metodologias Ativas com o corpo docente da Instituição. Para esta atividade foram desenvolvidos folders com esquemas para as metodologias ativas e técnicas que já haviam sido trabalhadas em formações anteriores conduzidas pelo NAeIP.

Como forma de aprofundamento, dentre as metodologias ativas já apresentadas anteriormente, foram escolhidas para este trabalho a TBL, a TPS, a Flipped Classroon, a ABProblemas, a Peer Instruction e entre as técnicas, optou-se pela Visita Téncia, RolePlay e Storytelling.

Os professores foram organizados em grupos com 04 (quatro) componentes cada. Para a distribuição dos professores nos grupos, levou-se em consideração o curso de sua atuação para que os grupos tivessem o maior grau possível de interdisciplinaridade. Foram ao todo formados 08 (oito) grupos.

O início dos trabalhos deu-se a partir de uma apresentação individual dentro dos grupos, onde cada professor dizia seu nome, curso, disciplinas de atuação e último filme visto no cinema. Feito isso, os professores receberam os folders das metodologias e das técnicas para que os manipulassem, recordassem e compartilhassem pequenos relatos de experiências onde as metodologias e técnicas dos folders estivessem presentes. Após a finalização deste trabalho inicial, os grupos de professores foram desafiados a eleger uma metodologia ou técnica para trabalhar, de forma que a escolha estivesse baseada nas disciplinas que os professores nas equipes apresentaram no início da atividade. Assim, as equipes precisaram buscar a aderência entre a metodologia ou técnica escolhida e alguma das disciplinas apresentadas por cada professor dentro das equipes. Com este trabalho pronto, um integrante de cada equipe apresentou ao grande grupo a escolha feita pela sua equipe. A partir das definições prontas, as equipes passaram a construir o projeto que foi definido e ao final do trabalho, um integrante de cada equipe fez a apresentação do projeto desenvolvido para o grande grupo.

Já como forma de conhecimento, todo o trabalho foi conduzido com o uso de Teaching Assistants (TA) que foram os responsáveis pelas orientações, esclarecimentos de dúvidas e a organização do trabalho dentro das equipes. Ao todo, eram 04 (quatro) TAs e cada um responsável por 02 (duas) equipes. Ao final das apresentações dos trabalhos desenvolvidos nas equipes, os professores do NAeIP apresentaram o uso de TA em sala de aula, como uma nova oportunidade de trabalho em turmas essencialmente grandes em números de alunos.

Ao final da jornada cada professor recebeu o seu kit de folders para levar e assim facilitar o planejamento de atividades em suas salas de aulas. Bem como, foram convidados a responder um questionário avaliativo acerca da atividade proposta e desenvolvida. Os resultados mostraram que os professores se sentiram desafiados para inserir novas formas pedagógicas em suas disciplinas, bem como se sentiram confortáveis em ter TAs para facilitar o trabalho dentro das equipes. Foram respostas como “foi muito gratificante construir este documento com professores de disciplinas completamente distintas, o que motivou a viabilidade da aplicação destas metodologias, já que foi discutida com professores de outras áreas, de certa forma leigos no conteúdo, os quais tiveram rápida compreensão sobre o problema tratado.” e “confesso que não tinha conhecimento acerca da metodologia escolhida pelo meu grupo e que até mesmo senti um pouco de dificuldade para compreensão de seu funcionamento. Todavia, com a explicação da “Teacher Assistant” consegui compreender o funcionamento da metodologia e vislumbrar a sua relevância. Com isso, espero utilizar já no próximo semestre não só essa como também outras metodologias ativas“ que nos faz acreditar que é possível sim mudar as práticas pedagógicas dos professores e que para isto basta oportunizar o conhecimento das diversas possibilidades que existem.